quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

SEM ME LIMITAR AOS 140 CARACTERES DO TWITTER


EXPERIMENTO SOCIALISTA

Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que ele nunca reprovou um só aluno antes, mas tinha, uma vez, reprovado uma classe inteira.

Esta classe em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e 'justo'.
O professor então disse, "Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas." Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e, portanto seriam 'justas'.  Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém seria reprovado. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia um "A"...
Depois que a média das primeiras provas foram tirada, todos receberam "B". Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.
Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos - eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. Como um resultado, a segunda média das provas foi "D".  Ninguém gostou.
Depois da terceira prova, a média geral foi um "F". As notas não voltaram a patamares mais altos mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram o ano... Para sua total surpresa.
O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque ele foi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes.
Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual o experimento tinha começado. "Quando a recompensa é grande", ele disse, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós.
Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então o fracasso é inevitável."
"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.
É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."

Adrian Rogers, (1931-2005)

quarta-feira, 8 de maio de 2013

UM LINK PARA CÁ


QUEM SOU EU? (Apresentação no Blog)

No final da última postagem, "Direita, Esquerda ou Livre Pensador" (05/05/2013), do Bloguetando fiz o link "livre pensamento" para cá .
            "(...) Sou flexível e aberto a todas as possibilidades (e opiniões), pois a consciência transcendente de viver em um tempo eterno e num espaço infinito me afasta das opiniões absolutas e definitivas.
                Tento me aproximar ao máximo da verdade, porém, me recuso a enxergá-la por uma ótica exclusiva, por isso, sempre faço simulações, e, virtualmente, como se estivesse num simulador de voo, transporto-me nas idéias contrárias às minhas, experimento-as por dentro, provo-lhes o sentido, dou-lhes todas as razões, sinto-as minhas, e só então me sinto apto a criticá-las. Da mesma forma, ataco minhas certezas, colocando-as ao avesso, expondo-lhe todas as fraquezas, procurando-lhes os defeitos, interpretando-as por uma ótima radicalmente contrária à minha, e só então me sinto hábil a defendê-las..."
AQUI também


terça-feira, 30 de agosto de 2011

O PENSAMENTO DE TEILHARD DE CHARDIN




Em 1965, a UNESCO prestou uma homenagem conjunta a Teilhard de Chardin e Einstein, promovendo um colóquio internacional dedicado aos dois sábios, tão diferentes sobre diversos aspectos, mas cujas ideias tiveram fundas repercussões no pensamento unviversal. Essa homenagem se realizou no décimo aniversário de falecimento de ambos.




“Não há, concretamente, espírito e matéria, mas existe só matéria tornando-se espírito”

“Ser é unir-se a si mesmo, ou unir os outros”

“Cada individuo carrega em si algo de todo o interesse final do Cosmo”


Teilhard de Chardin Wikipédia

“Cada um de nós, quer queira quer não, liga-se, por todas as suas fibras materiais, orgânicas e psíquicas, a tudo que o circunda”

“A matéria está toda carregada de possibilidades sublimes”

“A soma de nossas almas é a possibilidade (...) de Algo, que não está feito, mas que deverá sair de sua massa”

“Se eu pudesse mostrar apenas por um instante que fosse, aquilo que eu vejo, acho que valeriam a pena todos os esforços de uma vida inteira”

“Só o homem pode ajudar o homem a decifrar o mundo”

“A pessoa é essencialmente cósmica”

“Ser é unir. Para ser mais é preciso unir cada vez mais”

“Tudo o que sobe converge”

“Existe uma comunhão com a terra (primeira fase) e uma comunhão com Deus (segunda fase) e uma comunhão com Deus através da terra (terceira fase)”

“Para ser completamente homem, é possível que eu tivesse sido obrigado a me fazer Cristão”

“A fé tem necessidade de toda a verdade”

“Atingir o céu pela construção da terra”

“Deus é o coração de tudo”



segunda-feira, 29 de agosto de 2011

PENSAMENTOS DE ALBERT EINSTEIN



"A vida não dá e nem empresta, não se comove e nem se apieda. Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir aquilo que nós lhe oferecemos"

“Alguém pode descobrir muitos fatos a respeito da natureza e se tornar um eminente cientista, mas se não criar valores dentro de si, falhou nesta vida. Existe uma diferença fundamental entre descobrir e criar; descobrir é revelar algo que existe, já criar é transformar algo que antes não existia, em algo existente, um cientista não cria as leis físicas, ele as descobre"

"Eu penso 99 vezes e não descubro a verdade. Paro de pensar, mergulho em em profundo silêncio,e eis que a verdade me é revelada"

"A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original"

"O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário"

"Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta"

"Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito"

"Os ideais que iluminaram o meu caminho são a bondade, a beleza e a verdade"

"A religião do futuro será cósmica e transcenderá um Deus pessoal, evitando os dogmas e a teologia"

"O valor do homem é determinado, em primeira linha, pelo grau e pelo sentido em que se libertou do seu ego"

"A ciência sem a religião é coxa, a religião sem a ciência é cega"

"Não creio, no sentido filosófico do termo, na liberdade do homem. Todos agem não apenas sob um constrangimento exterior mas também de acordo com uma necessidade interior"

"A luta pela verdade deve ter precedência sobre todas as outras"

"É mais fácil mudar a natureza do plutônio do que mudar a natureza maldosa do homem"

"Guardar ressentimentos é tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra"

"Não procure ser um homem com êxito, e sim um homem com valores"

"Nem tudo o que é contado é importante; nem tudo o que é importante pode ser contado"

"Imaginação é tudo, é a prévia das atrações futuras"

"A luz... é a sombra de Deus..."

terça-feira, 19 de abril de 2011

FILÓSOFO BRASILEIRO



"BENTO CARNEIRO, VAMPIRO BRASILEIRO… PZZTT!"




O VAMPIRO PELO MENOS ERA ENGRAÇADO, JÁ O FILÓSOFO...



VOLTAR



domingo, 20 de março de 2011

AMOR FATI

LEGENDA DO VÍDEO ADICIONADA EM 17/06/2016

           
             Para Nietzsche, "amor fati" significa amar ao inevitável, amar o destino, amar o justo e o injusto, o próprio amor e o desamor. Ou seja, "ser, antes de tudo, um forte", sem se reclamar da vida, sendo indiferente ao sofrimento. Uma retomada do antigo pensamento grego dos filósofos estoicos.
            O Amor fati foi usado por Nietzche para representar a "fórmula para a grandeza do homem" e que significa:"Não querer nada de diferente do que é, nem no futuro, nem no passado, nem por toda a eternidade. Não só suportar o que é necessário, mas amá-lo".
            O termo aparece varias vezes em A Gaia Ciência, mas é neste trecho em particular citada de forma mais clara: "Quero cada vez mais aprender a ver como belo aquilo que é necessário nas coisas: - assim me tornarei um daqueles que fazem belas as coisas.
            "Amor fati (amor ao destino): seja este, doravante, o meu amor." Não quero fazer guerra ao que é feio. Não quero acusar, não quero nem mesmo acusar os acusadores. Que minha única negação seja ‘desviar o olhar’! E, tudo somado e em suma: quero ser, algum dia apenas alguém que diz sim." 


                           O  filósofo estoico.  Zenon (Zenão). de Cíntio, tinha um conceito de "felicidade" (CLIQUE)  que não se baseava em objetos ou circunstancias , mostrando que a atitude do homem diante dos objetos é muito mais importante do que o próprio objeto, transferindo a causa da felicidade do “ter” ou do “não ter” (objetos) para o "centro" de tudo, o “ser” (sujeito), mostrando, como disse o escritor William Ernest Henley: "o homem é o senhor do seu destino e capitão de sua alma*(IMPORTANTÍSSIMO CLICAR)..."não faça depender sua felicidade de algo que não dependa de ti". Se a minha felicidade depende de algum objeto e esse objeto não depende de mim, e sim de uma circunstância que sobre a qual não tenho nenhum controle, então nunca serei feliz.
                        Que nunca vai encontrar a felicidade em alo-realizações, o oposto da busca por autoconhecimento e auto-realizações que, essencialmente, segundo o filósofo catarinense Huberto Rohden , "não diferem do que Jesus ensinou no “Sermão da Montanha”, que nada mais é do que buscar a felicidade dentro de si: Lucas 17.21 - “O reino de Deus está dentro de nós”